Cydia Pomonella

Nomes Comuns:
Bicho da maçã, cydia, traça das frutas; Inglês: codling moth; Espanhol: palomilla de la manzana (mexico), perforador mayor de la manzana (colombia), gusano de la fruta Norueguês: eplevikler

Hospedeiros:
Prunus domestica, Prunus persica, Pyrus communis, Malus domestica, Juglans regia, Malus sp., Prunus dulcis, Prunus salicina, Cydonia oblonga, Prunus armeniaca, Pyrus sp..

Parte(s) afetada(s):
Semente ou grão, Frutos

Fase(s) em que ocorre o ataque:
Frutificação

Identificação:
Ovos: Medem 1,3 x 1,0 mm de diâmetro e possuem formato lenticular e circular. São esbranquiçados logo após a postura e ao longo do desenvolvimento embrionário nota-se o aparecimento de um anel avermelhado. Larvas: No primeiro momento são brancas e depois assumem coloração rosada com a cabeça marrom escura e pernas torácicas de cor castanho-claro. Têm 18-20 mm de comprimento. Não apresentam pente anal. Pupa: Medem de 8-12 mm de comprimento e possuem coloração castanha a marrom escuro. Adulto: Envergadura de 14-22 mm. As asas anteriores são acinzentadas e apresentam uma mancha circular escura próxima da extremidade posterior. As asas posteriores são de cor cinza em toda a região.

Bioecologia:
A postura de ovos ocorre na superfície das folhas perto dos frutos ou sobre os frutos e são colocados, geralmente, isoladamente ou em grupos de dois ou três. A quantidade de ovos depositados vai variar de acordo com o peso da fêmea, sendo uma média de 44 ovos por fêmea. O período de incubação é de 6-20 dias, sendo o fator determinante a temperatura do ambiente de desenvolvimento. As lagartas possuem cinco ínstares. Assim que emergem penetram no fruto. Normalmente, entram pelo cálice ou pela região peduncular, também pode ocorrer por qualquer região do fruto. Constroem galerias no fruto devido à alimentação da polpa do fruto que chega até na semente. Esse período pode variar de 21 a 35 dias. No final de desenvolvimento, as larvas medem de 12-20 mm de comprimento. Ao completar a fase larval abandona o fruto, tecem casulos e empupam. O período pupal dura de 7-30 dias. Pode ocorre no cálice, no pedúnculo dos frutos, em caixas de colheita ou de armazenamento. Os adultos emergem na primavera e possuem atividade sexual durante o crepúsculo. Os machos iniciam voo a uma temperatura média de 12,5 ºC a as fêmeas a 15 ºC. As fêmeas ovipositam em temperaturas acima de 16 ºC. Seu tempo de vida é de 12 dias. O número de gerações anuais vai variar de acordo com as condições climáticas, podendo ser de uma até quatro gerações.

Sintomas:
Orifício de entrada na camada superficial dos frutos com coloração avermelhada no seu contorno, galerias internas no fruto, sementes danificadas, queda prematura dos frutos, serragem umedecida e excrementos também são sinais de sua presença.

Controle:
– Cultural Rotação de cultura, utilizar plantas resistentes, estabelecimento de épocas e densidades de sementeira, remoção e destruição dos frutos infectados, retirar as cascas soltas do tronco da árvore (local favorável para empupação) são importantes meios de controle. – Químico Uso de inseticidas específicos. – Biológico Existem vários Artrópodos entomógafos (parasitóides e predadores) e Microrganismos entomopatogénicos (luta microbiológica) que podem ser utilizados como controle. Dentre eles, se destaca a utilização do Cydia pomonella vírus granulose (CpGV) que se mostrou bastante eficiente para o controle da praga, obtendo êxito de 70%-90. Porém, possui ação lenta e a larva consegue causar o dano superficial nos frutos antes de morrer. Estudos relatam inimigos naturais específicos para cada fase de desenvolvimento. O controle biológico do ovo é feito utilizando Trichogramma evanescens, Trichogramma embryophagum, Trichogramma embryophagum cacoeciae, Trichogramma minutum, Trichogramma dendrolimi, Trichogramma turkeiensis, Trichogramma kilinceri, Trichogramma buluti. Já em larvas usam Ascogaster quadridentata, Pristomerus vulnerator, Pristomerus austrinus, Calliephialtes nucicola, Lixophaga variabilis, Microdus rufipes, Neoplectops pomonella. Durante a hibernação larva no casulo ou pupa empregam constatam Cryptus sexannulatus, Hemiteles carpocapsae, Apistephialtes caudatus, Apistephialtes cydiae, Pimpla spp., Trichomma enecator. A espécie Pleisthophora carpocapsae foi relatada na Rússia e encontrada em larvas e pupas de Cydia pomonella. – Feromônios Monitoramento e confusão sexual.